Diferença entre Factoring e banco

É normal que algumas pessoas desconheçam a diferença entre Factoring e banco. Afinal, ambos os serviços oferecem um dinheiro para que você coloque os seus planos em ação. Mas as semelhanças param por aí, pois são duas atividades completamente diferentes!

Quando é necessário obter um valor extra para colocar algum plano em execução em sua empresa, naturalmente você pensa em pedir um empréstimo no banco, ou ainda em obter um crédito em uma empresa financeira, certo?

Mas já cogitou usar o chamado “Fomento Mercantil”? Entenda a diferença entre Factoring e banco, e descubra se essa não pode ser uma opção mais interessante para o seu caso!

Entenda a grande diferença entre Factoring e banco!

Os bancos são empresas que trabalham com empréstimos de valor. Ou seja, você faz uma solicitação de um montante, se a mesma for aprovada, você a recebe por inteiro, e realiza o pagamento em parcelas.

As parcelas, por sua vez, recebem um valor de juros mensal, que poderá dobrar ou triplicar a quantia que você solicitou no final de sua dívida! Isso é feito para garantir que qualquer inadimplência esteja coberta!

Diante do não pagamento de um empréstimo, os juros bancários continuam correndo, tornando a sua dívida uma verdadeira bola de neve!

A diferença entre Factoring e banco está justamente aqui. A empresa de Fomento Mercantil não faz empréstimos, mas sim compra os seus títulos de créditos, que para efeitos jurídicos são considerados uma mercadoria.

Ou seja, se você possui uma série de parcelas a receber por conta de um serviço prestado ou um produto vendido, então você poderá vender todas essas parcelas ao Factoring, e com isso receber o montante do valor a vista.

Alguns dos exemplos mais comuns de créditos que podem ser negociados com Factoring são:

  • Duplicatas,
  • Cheques;
  • Notas promissórias.

Empresas de Factoring assumem o risco do negócio!

Quando falamos sobre a diferença entre Factoring e banco, é importante destacar também o fato de que o Fomento Mercantil assume o risco da negociação, ao contrário do banco. Mas o que isso significa?

Imagine o seguinte: você fez uma venda através de uma duplicata, e quer vender esse crédito para uma empresa de Factoring. Sendo assim, será cobrado de você um percentual referente a esse título – 5%, 7% ou o que for negociado.

Você recebe o valor que sobrar, e a partir daí, para você, a negociação foi concluída. Caso o seu cliente sacador não pague o valor no dia por falta de dinheiro, a Factoring não vai cobrar isso de você. Ela vai assumir o prejuízo, pois ela comprou aquela duplicata por inteiro.

O que é risco de origem? Como isso pode ser um problema?

Já que falamos sobre o fato de a Factoring assumir a dívida, é importante falar sobre o chamado “risco de origem”. Nesse caso, significa que no momento em que você vendeu aquele crédito, ele já tinha um problema.

Por exemplo, o seu produto não foi entregue ao cliente. Ou foi entregue com defeito, e por isso o pagamento não foi feito.

Qualquer que seja a razão causada por você e por sua empresa, que levaram o cliente a se recusar a pagar a duplicata que foi vendida a empresa de Factoring, é chamado risco de origem. E nessa situação o Fomento Mercantil cobrará de você, sim, pois a negociação não foi justa.

Já o banco não assumirá o risco, e diante de uma inadimplência, mesmo que seja causada pelo seu cliente, e não por você, você será cobrado pelo valor não pago.

Essa é a grande diferença entre Factoring e banco. Sendo assim, é importante que você analise quais das condições lhe parece mais interessante, e pode realmente ser uma boa escolha para o seu negócio.

Adicionar comentário