modelo de fluxo de caixa

Modelo De Fluxo De Caixa | Você Pode Personalizar O Seu

Um modelo de fluxo de caixa é utilizado para demonstrar a aplicação dos recursos para e de uma empresa ou organização. Muitas vezes, é preparado usando o método indireto de contabilidade para calcular os fluxos de caixa líquidos.

A demonstração é útil para analisar o desempenho dos negócios, fazer projeções sobre fluxos de caixa futuros, influenciar o planejamento de negócios e informar decisões importantes.

O termo “caixa” refere-se a receitas e despesas e pode incluir investimentos e ativos que é possível converter facilmente em dinheiro. Ao conduzir uma análise de fluxo de caixa, uma empresa pode avaliar sua liquidez e solvência.

Além disso, pode comparar o desempenho entre os períodos contábeis, identificar os direcionadores do fluxo de caixa para suportar o crescimento e planejar com antecedência, mantendo uma posição de caixa positiva.

Você pode utilizar um modelo de fluxo de caixa para gerenciamento do fluxo e contabilidade, sendo que muitos modelos são totalmente personalizáveis e podem ser baixados gratuitamente.

modelo de fluxo de caixa

Modelo de Fluxo de Caixa

Um modelo de fluxo de caixa é normalmente dividido nas seguintes seções para distinguir entre diferentes categorias de fluxo de caixa:

  • Atividades operacionais

Os fluxos de caixa nesta seção seguirão o ciclo operacional de uma empresa por um período contábil e incluirão itens como recibos de vendas, compras de mercadorias, salários pagos e várias despesas operacionais.

  • Atividades de investimento

Alguns exemplos de atividades de investimento incluem a compra ou venda de ativos, a concessão de empréstimos e a coleta de pagamentos e a geração de entradas ou saídas de caixa de outros investimentos.

  • Atividades de financiamento

Esta seção pode incluir atividades como receber dinheiro de credores ou acionistas, pagar empréstimos e pagar dividendos e vender ações da empresa, bem como outras atividades que afetam o patrimônio e as obrigações de longo prazo.

Uma demonstração de fluxo de caixa pode resumir informações para qualquer período contábil, mas se você estiver iniciando um novo negócio ou planejando os próximos meses, criar uma projeção de fluxo de caixa pode ajudá-lo a antecipar quanto dinheiro sua empresa terá entrando e saindo durante um período de tempo futuro.

Tenha em mente que, embora muitos custos sejam recorrentes, você também precisa considerar os custos únicos. Além disso, você deve planejar mudanças sazonais que possam afetar o desempenho dos negócios e os próximos eventos promocionais que possam impulsionar as vendas.

Dependendo do tamanho e da complexidade do seu negócio, você pode delegar a responsabilidade de criar uma previsão de fluxo de caixa para um contador. No entanto, as pequenas empresas podem economizar tempo e dinheiro com um modelo de fluxo de caixa simples, mas que mostre as projeções de forma clara.

Escolhendo o Melhor Modelo

A escolha do modelo de fluxo de caixa vai depender das características do seu negócio. Esse demonstrativo permite que as empresas gerenciem a solvência de maneira mais proativa, pois é possível ter a visão do todo.

Com os dados em mãos, os gestores podem melhorar a sustentabilidade da organização e também a compreensão do impacto dos condutores no fluxo de caixa, levando a melhores decisões.

Um modelo de fluxo de caixa personalizado, que atende às necessidades do seu negócio, facilita a definição da meta do direcionador de caixa e fornece uma base para análise e relatório aprimorados do desempenho do fluxo de caixa em relação às metas, bem como indicadores anteriores dos fluxos de caixa futuros esperados.

Essa planilha também melhora a compreensão do impacto de caixa das decisões de investimento e melhora o acesso ao capital, já que os provedores de capital têm mais confiança.

Para que serve o Fluxo de Caixa

O fluxo de caixa é um instrumento de controle que auxilia na previsão, visualização e controle das movimentações financeiras futuras. A sua grande utilidade é permitir a identificação das sobras e faltas no caixa, possibilitando ao profissional planejar melhor suas ações futuras ou acompanhar o seu desempenho.

Em uma empresa, o ideal é que o período de acompanhamento seja diário, mas empresas que usem o sistema exclusivamente como instrumento gerencial podem utilizar um modelo de fluxo de caixa com períodos maiores – semanal ou até quinzenal – dependendo da sua liquidez, isto é, dependendo do seu  volume de movimentação.

Períodos menores permitem maior eficiência nos investimentos e aplicação financeira dos saldos positivos, mas em compensação geram maior esforço ou custo de acompanhamento, no fenômeno conhecido como overhead. É importante que você encontre o seu ponto de equilíbrio.

De uma forma ou de outra, um controle de fluxo de caixa bem feito é uma grande ferramenta para lidar com situações de alto custo de crédito, taxas de juros elevadas, redução do faturamento e outros fantasmas que rondam os empreendimentos. Ele permite:

  • Avaliar se as vendas presentes serão suficientes para cobrir os desembolsos futuros já identificados.
  • Calcular os momentos ideais para reposição de estoque ou materiais de consumo, considerando os prazos de pagamento e as disponibilidades.
  • Verificar a necessidade de realizar promoções e liquidações, reduzir ou aumentar preços.
  • Saber se é ou não possível conceder prazos de pagamentos aos clientes.
  • Saber se é ou não possível comprar à vista dos fornecedores, para aproveitar alguma promoção.
  • Ter certeza da necessidade ou não de obter um empréstimo de capital de giro.
  • Antecipar as decisões sobre como lidar com sobras ou faltas de caixa.

Mas não pense que um empreendimento individual em que haja grande folga entre as receitas e as despesas, ou seja, em que ocorra saldo positivo com facilidade todos os meses, não pode se beneficiar deste controle adicional.

Saber antecipadamente quanto vai sobrar, e quando este dinheiro estará disponível, permite escolher as melhores aplicações financeiras e selecionar o momento ideal para usar este dinheiro, oferecer condições mais vantajosas (por exemplo: prazo) para clientes selecionados, e muito mais.

modelo de fluxo de caixa

Exemplo de Planilha de Fluxo de Caixa

modelo de fluxo de caixaO modelo de fluxo de caixa apresentado é um exemplo, com valores completamente inventados, de um fluxo com periodicidade semanal, e itens bastante simplificados.

Note que para cada um dos períodos há duas colunas: uma dos valores previstos, e outra dos realizados. A segunda coluna, naturalmente, só pode ser preenchida quando o período acabar.

 

As linhas são muito importantes, e estão divididas em blocos. Vamos analisar uma a uma:

Saldo inicial

É o valor disponível no início do período, correspondendo ao dinheiro que está na gaveta, ou no bolso, somado aos saldos das contas correntes disponíveis para saque. No fluxo de caixa, não são considerados nos saldos os valores que estejam imobilizados, ou os que estejam em aplicações consideradas indisponíveis para saque no período.

Cheques pré-datados não podem ser incluídos como saldo inicial uma vez que ainda não são efetivamente dinheiro e sim um título com vencimento pré-datado.

  • Bloco Entrada

Nele constam as diversas categorias de entrada de dinheiro em caixa ao longo do período. Vendas à vista, cheques pré-datados que se tornem disponíveis ao longo do período, créditos de contas a receber (exemplo: depósitos de clientes referentes a transações realizadas anteriormente), ou o que for.

  • Total Entradas

É a soma simples do bloco Entrada e corresponde basicamente ao dinheiro novo que entrou em caixa ao longo do período.

  • Bloco Saídas

Aqui vão as diversas categorias nas quais você realiza pagamentos. Energia, telefone, manutenção de veículo, equipamentos, material de escritório, aluguel, condomínio, impostos, etc.

Um aspecto essencial deste bloco é a inclusão do pró-labore que corresponde ao dinheiro do empreendimento que é retirado para uso pessoal do empreendedor, como se fosse o seu salário – idealmente em parcelas fixas e periódicas, e sempre registradas.

modelo de fluxo de caixa

  • Total Saídas

É a soma simples do bloco Saídas e corresponde basicamente ao dinheiro que saiu do caixa ao longo do período.

  • Saldo operacional

Corresponde ao Total Entradas menos o Total Saídas. É, portanto, o saldo de caixa referente exclusivamente ao período, sem considerar o saldo anterior que estava disponível.

Pode eventualmente ser negativo – por exemplo, na data do pagamento do IPTU -, mas uma sequência de saldos operacionais negativos sucessivos é sempre um grande sinal de alerta.

  • Saldo final

É a soma do Saldo Inicial com o Saldo Operacional, considerando os respectivos sinais, caso algum seja negativo. Basicamente, é o dinheiro que restou em caixa ao final do período, e é imediatamente transcrito como o saldo inicial do período seguinte.

Importância do Fluxo de Caixa

Organizar e manter o fluxo de caixa dá trabalho, mas é recompensador. Você precisa ser sistemático, e lembrar-se de alimentar os modelos de fluxo de caixa no início de cada novo período.

Especialmente, você precisa estar disposto a manter atualizadas, com a antecedência que for possível, as colunas de valores previstos, e analisá-las sempre que necessário, para de fato poder colher o principal fruto desta ferramenta: a possibilidade de prever com maior precisão quando haverá sobra e quando haverá falta de dinheiro em caixa.

A análise antecipada também permite tomar as providências necessárias para que haja disponibilidade de caixa nas datas de vencimento de impostos, taxas, prestações, financiamentos e outros desembolsos com data certa, que incorrem em multas e juros caso atrasem.

Se o seu mercado for sazonal, leve isto em conta nas suas previsões, pois frequentemente os custos fixos (que ocorrem mesmo na baixa temporada) acabam sendo um grande vilão, e o faturamento da alta temporada precisa conseguir sobrepujá-los.

Excessos de caixa devem ser aplicados, como vimos acima, mas é necessário haver uma margem de segurança que permita garantir o giro da empresa e também algum imprevisto. Não tenha excesso de caixa, mas também não imobilize demais, ficando à mercê de qualquer cliente que deixe de pagar uma fatura.

 

Adicionar comentário