Simulação de Cenários na Gestão Orçamentária

A simulação de cenário é indispensável na gestão orçamentária, mesmo quando o planejamento inicial é aceito pela direção da empresa.

A criação de novas hipóteses, aparecimento de novos cenários e a criação de novas ideias são importantes para a empresa não ficar presa somente a um plano, além de prepará-la para prosseguir em novas direções.

O que é Simulação de Cenário?

A simulação de cenário é uma das etapas da gestão orçamentária, usada por muitas empresas para produzir planos flexíveis que vai de médio á longo prazo.

Tem como objetivo a simulação de vários possíveis cenários, para dessa forma, elaborar planos de atuação, possibilitando que a empresa fique mais preparada para cada um desses cenários.

As empresas precisam fazer simulações de cenários para possíveis acontecimentos como contratação ou demissão de funcionários, execução de grandes investimentos e outros.

O mais indicado é que cada empresa crie no mínimo 3 cenários:

  • Cenário realista;
  • Cenário pessimista;
  • Cenário otimista.

Tipos de Simulações de Cenários

Na gestão orçamentária é possível trabalhar com vários modelos de simulação de cenários. Vamos ver alguns.

Cenário Base Zero

Nesta simulação é feita a cópia completa da base do orçamento, no entanto, zerando completamente os valores na nova projeção. No modelo base zero cada elemento do orçamento deve ser nitidamente aprovado, e não somente as modificações com respeito ao ano passado.

No decorrer do processo de análise do orçamento, nenhuma citação é realizada sobre os custos do ano que passou. Nesse processo, é preciso que o pedido orçamentário seja verificado e analisado de forma completa, a contar de uma base zero.

Algumas vantagens do cenário base zero é que ele ajuda a identificar orçamentos onerados, detecta e excluem processos que são antigos e enfraquecidos, aponta possibilidades de terceirização, incentiva os diretores a observar de forma crítica o modo como as tarefas são realizadas, entre outros.

Cenário Estático

É um modelo muito frequente nas empresas, e de modo geral, é feito antecipadamente ao início do ano. Isso se dá, porque o aspecto fundamental do cenário estático é a simulação de resultados para o ano a seguir.

Além de proporcionar um prognóstico de cenários, esse modelo de orçamento deve ser usado como um indicador.

Cenário Ajustado

O cenário ajustado também chamado de forecast, tem como alvo analisar a condição vigente da empresa. Para esse fim, será preciso ver o que foi planejado e o que de fato foi feito. Desse modo, o orçamento é reavaliado de forma constante, conforme os resultados alcançados.

Alguns benefícios desse tipo de simulação de cenário estão justamente no aumento do nível de flexibilização, o ajuste de alvos traçados e da experiência criada pela reparação e verificação de mercado, possibilidades e riscos.

Cenário Flexível

O cenário flexível é definido pela verificação dos resultados produzidos em cada departamento da companhia. As simulações facilitam a identificação, por exemplo, de gastos e realizações característicos. Desse modo, as alterações no orçamento são realizadas e renovadas conforme o que está sendo analisado.

Cenário Revisado

Depois que cada plano financeiro é feito pelo diretor da empresa, as informações podem ser firmadas em um único plano. As vezes a versão inicial do orçamento não é aceita pela direção.

Dessa forma, com base no plano orçamentário que havia sido elaborado, é criado um novo cenário, frequentemente conhecido como cenário revisado.

No cenário revisado, cada supervisor realiza as modificações recomendado pela direção da empresa, e depois de terminarem, um novo balanço é feito, para saber se o orçamento vai ser aprovado ou se será pedido outro cenário revisado.

Adicionar comentário