tipos de financiamento

Tipos De Financiamento | Conheça As Várias Opções E Escolha Certo

Infelizmente hoje em dia quase ninguém possui todo valor necessário para adquirir um bem de valor alto e se obrigam a buscar algum dos tipos de financiamento para aquisição de um imóvel ou mesmo um veículo, fazer investimentos em seu negócio ou pagar a faculdade.

Quando você precisa de dinheiro para aquisição de um bem, e você solicita este crédito junto a uma instituição financeira como um banco, a liberação do crédito necessário é denominada financiamento.

Existem vários tipos de financiamento que abrangem situações das mais diversas, podendo ser para pessoa física ou jurídica e em regra geral, o valor é liberado para utilização após certa análise, devendo ser pago em parcelas periódicas, com acréscimo de algumas taxas e juros.  correspondem ao valor total emprestado, mais acréscimo de algumas taxas e juros.

Tipos de Financiamento

Como já foi referido, existem várias modalidades de financiamento. A escolha irá depender das características do solicitante, do montante, da forma de pagamento, aplicação dos recursos, entre outros.

Quando se faz um financiamento é preciso estar atento quanto a data de vencimento das parcelas, pois, além dos juros já cobrados sobre o valor financiado, também há incidência de juros, caso você atrase o pagamento da parcela.

O pagamento das parcelas  com atraso vai ocasionar juros sobre juros. Porém, se você quiser quitar algumas parcelas antecipadamente ou amortizar o saldo devedor total, você conseguirá abater uma parte do valor de juros cobrados.

tipos de financiamento

Financiamento para Pessoa Física

Existem alguns tipos de financiamento voltados para a pessoa física. Antes de optar por um financiamento, porém, é fundamental estudar bem os juros e os meios de quitação da dívida.

  • Financiamento de veículo

Você escolheu o carro dos seus sonhos, ou aquele que cabe no seu bolso e foi para a mesa do vendedor finalizar o negócio. Depois de muita pesquisa e de tantas visitas a concessionárias, o sentimento é de dever cumprido.

Mas é necessário ficar atento a algumas informações que deveriam, mas geralmente não são, reveladas a você até este momento. Sabe aquele comercial que divulga taxa zero ou um juros de 1,5%? O valor não é bem esse. Há taxas que podem aumentar a parcela do seu financiamento e passar quase em branco na hora da negociação.

Adquirir um carro não é o mesmo do que comprar uma peça de roupa e o principal motivo é o preço. A não ser que você decida pagar à vista, o valor do bem não é o mesmo da etiqueta na aquisição de um automóvel.

Por exemplo, um Ford Ka ofertado no showroom por R$ 50 mil – o valor estava dentro de seu orçamento. O problema é que, com as taxas, o valor do modelo pula para mais de R$ 62 mil em quatro anos. Nem todo mundo se dá conta, mas estamos comprando, na verdade, dois produtos: o carro e o financiamento, ou seja, o dinheiro para comprar o automóvel.

Este é um dos tipos de financiamento mais comuns, só que ainda não nos explicam claramente, na maioria das vezes, que existem taxas e juros para comprar esse dinheiro. A parcela do financiamento acaba ficando mais alta do que o esperado.

Além das taxas de juros nominais do banco, aquelas anunciadas nas propagandas, existem outras cinco. São elas: Gravame, Taxa de Cadastro, Seguro Proteção Financeira (SPF), além de dois tipos de IOF.

  • Financiamento imobiliário

Comprar um imóvel à vista não é uma realidade para a maioria dos brasileiros, ainda mais em tempos de crise econômica. Apesar da casa própria parecer um sonho distante, através do financiamento imobiliário é possível adquirir um imóvel, talvez antes do que você imagina. Com o financiamento imobiliário, você pode pagar o seu imóvel em parcelas que duram até 35 anos, facilitando o seu pagamento.

Graças as oportunidades de tipos de financiamento imobiliário oferecido pelos bancos, milhares de brasileiros conseguiram realizar o sonho de comprar a casa própria.

Os pacotes de financiamento imobiliário oferecidos pelos bancos privados e públicos facilitam a aquisição de imóvel com taxa de juros menores e forma de pagamento acessível, o que faz com que seja uma boa alternativa para quem está em busca de sua casa própria.

O financiamento imobiliário é uma linha de crédito de longo prazo oferecida por instituições financeiras, bancos públicos ou privados, destinadas a aquisição de imóveis (casa ou apartamento) novos ou usados, em construção ou um terreno, para fins habitacionais ou de comércio, para qualquer pessoa que seja maior de 18 anos, sem restrição ao crédito e com capacidade financeira de pagamento.

  • Financiamento estudantil

Se você não foi aprovado em uma instituição pública e não tem dinheiro para bancar uma faculdade, financiar seus estudos pode ser uma alternativa. Conheça alguns tipos de financiamento estudantil.

Programa de financiamento do governo
Existem programas do governo que ajudam você a pagar seus estudos. Conheça alguns deles e saiba como participar de cada um:

  • FIES (Fundo de Financiamento Estudantil)

Criado pelo Ministério da Educação (MEC) o FIES financia os estudos de alunos que não podem pagar uma faculdade particular. Para participar do FIES, os alunos devem se matricular em cursos com avaliação positiva pelo MEC em instituições que aceitam o programa.

Além disso, o aluno deve ter feito a prova do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), com nota mínima de 450 pontos e sem zerar a redação. A renda familiar do aluno não pode ser superior a três salários mínimos por mês.

O FIES trabalha com juros de mais ou menos 6% ao ano e cobra uma taxa trimestral no valor de R$ 50, como pagamento dos juros. Para participar, basta acessar o SisFIES, fazer o cadastro e entregar os documentos pedidos.

Programas de instituições privadas

Algumas bancos e redes de universidades possuem seus próprios tipos de financiamento estudantil. Observe as taxas e prazos para pagamento e escolha a melhor opção para seu bolso.

  • PEP (Parcelamento Estudantil Privado)

Alunos calouros podem ingressar no PEP (Programa Estudantil Privado). Funciona da seguinte forma: o aluno escolhe uma das instituições participantes e um dos três tipos de parcelamento (PEP 25, PEP 30 e PEP 50).

  • PEP 25, o aluno financia 75% do valor total da mensalidade e paga os outros 25% deste valor,
  • PEP 30, o desconto é de 30% e o aluno paga 70% do valor da mensalidade;
  • PEP 50, 50% do valor total da mensalidade é financiado e os outros 50% são pagos pelo aluno.

Todos eles podem ser pagos depois que você se formar. Para participar, basta se inscrever pelo site.

  • PraValer

Disponível em mais de 300 instituições conveniadas em todo o Brasil, o PraValer funciona de forma semestral. O aluno interessado verifica se a instituição escolhida trabalha com o crédito educativo e se inscreve. Para participar é necessário ter um garantidor com renda superior a um salário mínimo ao mês e não ter nome no SPC/Serasa.

As mensalidades do semestre são pagas totalmente pelo fundo e o aluno tem até seis meses após o semestre para pagar. É possível renovar o crédito, desde que o aluno não atrase nenhuma mensalidade. O cadastramento pode ser direto pelo site.

Lembre sempre de pesquisar com calma sobre os tipos de financiamento estudantil que estão disponíveis para você e calcule todos os custos.

Financiamento para Pessoa Jurídica

Verificar as possibilidades de crédito é fator decisivo para um financiamento planejado, que não impacte negativamente na rotina financeira da empresa. Pesquisar as alternativas de financiamento existentes e quais se encaixam nas necessidades do negócio, é fundamental.

Para começar, o empresário deve procurar seu banco de relacionamento e conhecer as possibilidades de financiamento para empresa ou pesquisar no mercado financeiro as ofertas que melhor irão atendê-lo a curto, médio e longo prazo.
Existem vários tipos de financiamento. Entre eles podemos citar:

Autofinanciamento

O autofinanciamento é uma das formas de alavancar recursos para a atividade empresarial. Algumas possibilidades:

  • Negociar prazos mais dilatados com fornecedores;
  • Negociar prazos mais curtos com clientes;
  • Reinvestir o lucro do negócio ao invés de retirá-lo.

Financiamento próprio ou interno

O financiamento próprio é assegurado pelos próprios membros na forma de capital social, quando constituem a empresa e o financiamento para empresa interno é gerado pela atividade da empresa e expresso na forma de benefícios não distribuídos que se acumulam.

Há também financiamento interno nas provisões para as amortizações acumuladas do ativo imobilizado e nas provisões despesas ou perdas futuras previsíveis e realizáveis.

Factoring

O direito de cobrar os créditos comerciais da empresa (notas, recibos, notas promissórias, faturas) é transferido para a instituição de crédito (fator), que se encarregará de todos os procedimentos de cobrança e assumirá o risco em troca de uma comissão e alguns interesses que serão cobrados com base no tempo restante, até a expiração.

O factoring é feito normalmente com notificação e os pagamentos são efetuados diretamente ao factor. Ademais, em sua maioria, as vendas de duplicatas a um factor são feitas sem opção de recurso. Isso significa que o factor concorda em aceitar todos os riscos de crédito. Se as duplicatas forem incobráveis, terá que absorver as perdas.

Em geral, o factor não paga a empresa o total de uma só vez e imediatamente. Ela paga de forma parcelada, de acordo com o faturamento da empresa, num período que se estende até a data da cobrança da duplicata.

Há casos em que parte do dinheiro só é liberado ao cliente após o desconto da duplicata. O factor geralmente abre uma conta semelhante à conta corrente bancária para cada um de seus clientes e deposita dinheiro na conta da empresa, ou conforme contrato, ao qual pode sacá-lo livremente.

CLIQUE AQUI PARA SIMULAR A ANTECIPAÇÃO DE SEUS RECEBÍVEIS

tipos de financiamento

Financiamento externo

Eles são todos os recursos que vêm de fora das fontes da empresa e podem ser de diferentes tipos, dependendo de sua origem: Financiamento Bancário, Finanças através de mercados organizados, Financiamento para empresa por instituições e agências de financiamento público, através de outros tipos de canais alternativos.

O financiamento de instituições de crédito são aqueles que vêm de entidades que conhecemos como bancos, caixas econômicas e pawnbroking ou cooperativas de crédito, que são instituições financeiras que oferecem financiamento bancário de vários tipos.

É necessário diferenciar entre financiamento bancário de longo prazo e financiamento bancário de curto prazo, uma vez que existem diferentes produtos financeiros, dependendo do prazo de pagamento.

 

Adicionar comentário